Evolução das Linguagens de Alto Nível

Conforme falado neste post, todos os computadores operam por conta de programas que falam a mesma língua do computador, longas sequências de instruções chamadas de código de máquina endereçadas ao hardware e que são escritas em notação binária, ou seja, usam apenas os dígitos 0 e 1.

A primeira geração das linguagens precisava de longas sequências de números binários para representar operações matemáticas como “adicionar”, “subtrair”, “dividir”.

Como o desenvolvimento de programas em código de máquina é impraticável, tedioso e totalmente propenso a erros, surgiram as linguagens de segundo nível, que usavam mnemônicos simples como “A” para indicar “ADD” (somar) ou M para “MULTIPLY” (multiplicar), que então eram traduzidos para linguagem de máquina por um programa chamado Assembler, conforme já falado.

A dificuldade de portar programas através de diferentes computadores levou ao desenvolvimento das linguagens de alto nível que são tão conhecidas hoje em dia, pois permitiram ao programador ignorar detalhes de baixo nível, que não estavam relacionadas diretamente ao seu objetivo final, às regras de negócio.

Posteriormente ficou reconhecida que quanto mais parecida a linguagem de programação fosse com a linguagem natural, menos suscetível a erros seria o programa. Essas linguagens de terceira geração foram desenvolvidas para resolver problemas singulares. Diferentemente das linguagens de máquina e simbólicas (Assembly), elas variavam menos entre diferentes computadores. O código escrito em linguagem de alto nível é traduzido em código de máquina por um programa chamado compilador ou interpretador.

Os primeiros computadores eram usados quase exclusivamente por cientistas, tanto é que a primeira linguagem de alto nível, a FORTRAN, foi desenvolvida para aplicações de engenharia. Uma linguagem que lidava melhor com algoritmos recursivos, chamada LISP, também foi criada em seguida. A primeira linguagem direcionada para aplicações comerciais, o COBOL, ainda é amplamente usada nos dias de hoje em grandes sistemas corporativos.

BASIC foi desenvolvida como uma ferramenta de ensino para alunos de graduação e depois se tornou a principal linguagem de programação responsável pela revolução do computador pessoal. Em 1971 um professor suíço criou a linguagem estruturada a qual ele nomeou Pascal, em homenagem ao primeiro homem a criar com sucesso uma calculadora mecânica.

Em 1972 a linguagem C foi criada, seguida pela criação de sua extensão chamada de C++, que provavelmente se tornou uma das linguagens de programação de propósito geral mais amplamente utilizada, devido a sua capacidade de lidar com a programação orientada a objetos.

Java é uma linguagem orientada a objetos parecida com C++, mas sem algumas funções que tornavam a programação mais suscetível a erros por parte do programador. Java foi desenvolvida especificamente para escrever programas que fossem possíveis de serem transferidos com segurança pela internet e executados sem medo de que vírus fossem instalados no computador.

2 thoughts on “Evolução das Linguagens de Alto Nível

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


*